Em cartaz: “A Garota no Trem” e “O Contador”

Dois dos filmes mais comentados do momento são A Garota no Trem e O Contador. Ambos estão em cartaz nos cinemas. Fique por dentro e escolha qual vai ser o filme do seu feriado. Minha dica é: se puder, assista aos dois!

177564-jpg-r_1280_720-f_jpg-q_x-xxyxx

A Garota no Trem
(dirigido por Tate Taylor | EUA, 2016)
Nota: ★★★★★★☆☆☆☆ [6]

Nesta adaptação do best-seller de Paula Hawkins, Rachel (Emily Blunt) é uma mulher amargurada e que se entregou à bebida. Todos os dias ela passa de trem por sua antiga rua e observa Megan (Haley Bennett), a vizinha que parece ter a vida perfeita. Uma noite, Megan desaparece… e Rachel não faz ideia do que ela mesma estava fazendo naquela noite.

Suspeitas, sensualidade e a busca pela verdade dão o tom ao filme, que é bom, mas pode desapontar alguns leitores do livro. Por não aprofundar mais no psicológico dos personagens, dá a impressão de estar faltando alguma coisa. A história ser adaptada para Nova York (enquanto a original se passa em Londres) também causa uma certa estranheza.

Ainda que tenha uma direção meio preguiçosa, vale pela ótima atuação da Emily Blunt, que brilha mais que todos os outros aspectos do filme.

107377-jpg-r_1280_720-f_jpg-q_x-xxyxx a-garota-no-trem

 

unnamed-540x800O Contador
(dirigido por Gavin O’Connor | EUA, 2016)
Nota: ★★★★★★★★☆☆ [8]

Christian Wolff, um gênio da matemática (que, como a maioria dos gênios tem mais facilidade em conviver com os números que com pessoas), trabalha como contador para poderosas organizações criminosas. Quando a divisão contra crimes financeiros do Departamento do Tesouro americano começa a decifrar o que ele faz, ele começa a prestar serviços para uma empresa real, onde há uma discrepância de milhões de dólares no livros da companhia. Enquanto ele se aproxima da verdade, a contagem de corpos também começa a subir.

Um filme de ação interessante e bem feito, o que, aliás, traz um frescor para o gênero. Com ótimas atuações, em especial de Ben Affleck e John Bernthal, temos ainda o sempre ótimo J.K. Simmons no papel de Ray King, o chefe do Tesouro.

Chama atenção também a forma inteligente como o roteirista, Bill Dubuque, escolheu tratar a questão do autismo. Aliás, o roteiro não subestima a nossa inteligência em quase nenhum ponto e traz ainda um bom final.
Se você curte filmes de ação, não vai se arrepender, pois vale cada centavo do seu ingresso. Um filme surpreendente!

ocontador The Accountant

Roseana Marinho

Roseana Marinho

Publicitária, desde a adolescência apaixonada pela sétima arte, opina e debate sobre as obras cinematográficas. Ama literatura, astronomia e história e é tão eclética que faz ballet clássico e kung fu. Nas horas vagas, além dos filmes, também vê muitas séries.

roseanam has 30 posts and counting.See all posts by roseanam

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *